Tecmater - Equipamentos de proteção individual

Como evitar mordida de cães? Calça Canitec Tecmater

A TECMATER lançou rescentemente uma calça especial para minimizar os acidentes com mordidas de cães. É uma calça especial, com forração canitec TECMATER, que minimiza a lesão e a perfuração no ato da mordida do cão.

Este produto é fruto de uma parceria da nossa empresa com a COPEL.

Acesse o video no youtube em: http://www.youtube.com/watch?v=5nXNWqedpt8

Porém, todos os dias os hospitais do Paraná atendem mais de 100 vítimas de mordida de cão. Só em 2011 foram mais de 37.604 atendimentos registrados pela Secretaria de Saúde do Paraná. Isso sem contar as pessoas que tiveram lesões leves e não procuraram um médico.

Todo mundo já ouviu falar que o cachorro é o melhor amigo do homem. Companheiro fiel, protetor e carinhoso. Mas a história sempre tem dois lados. Dados da Companhia Paranaense de Energia (Copel) revelam que de janeiro a julho de 2013 o cachorro foi o principal causador de acidentes de trabalho com funcionários da empresa.

E o dono do animal é o responsável. Ele pode até responder criminalmente por lesão corporal, crime contra a pessoa e também ser punido com restituição financeira pelo dano causado. Na última semana, dois casos com funcionários da Copel aconteceram na região; um em Marechal Cândido Rondon e um em Assis Chateaubriand.

Copel - De acordo com o gerente da Copel em Rondon, Hélio José Dalgallo, a mordedura canina tem levado empresas a desenvolver campanhas educativas para a população e treinamentos para os seus funcionários.

“A relação entre empregados da Copel e os cachorros não é muito boa”, garante, revelando que: “muito embora a atividade dos técnicos da Copel seja classificada como de alto risco, trabalhando diretamente com energia e risco de choques, a maior causa de acidentes de trabalho classificados como típicos são acidentes causados por ataque de cães durante o desenvolvimento dos serviços”.

Os casos normalmente não são de natureza grave, pois, de acordo com Dalgallo, treinamentos são realizados seguidamente para o colaborador enfrentar esse tipo de situação. “Todo nosso pessoal recebe treinamento para prevenir os acidentes e, caso ocorram os ataques, para se defender adequadamente”, explica.

Quando acontecem os acidentes, como os da semana passada, a Copel registra um boletim de ocorrência na polícia por lesão corporal e crime contra a pessoa. “Dependendo da gravidade, o dono do animal pode ser responsabilizado criminalmente, mesmo se a mordida acontecer fora do terreno. Pode também ser acionado civilmente para a restituição financeira do dano causado ao funcionário”, explica o gerente.

Correios - A gerente dos Correios em Marechal Rondon, Roselaine Schneider, explica que o cachorro solto atrapalha em muito o trabalho dos entregadores. “Mordidas não são tão frequentes, mas acontecem. Nosso problema está no animal solto, que corre atrás da bicicleta e da moto. Tivemos um caso aqui (em Marechal Rondon) que o cachorro derrubou nosso funcionário da moto. Ele teve que ficar afastado do trabalho”, explica.

Veja um exemplo de ataque: http://www.ijui.com/seguranca/32368-ataque-de-cao-a-carteiro-em-ijui-mobiliza-categoria-por-maior-seguranca-no-trabalho.html

ATENÇÃO AOS PROFISSIONAIS

Carteiros, coletores de lixo e leituristas de água e luz enfrentam diariamente situações de risco com cachorros. Para se proteger, alguns cuidados são importantes:

► Nunca projete o corpo, a mão ou o braço para dentro de um imóvel sem ter certeza de que não há animais. Aproxime-se sempre com cuidado, pois os cães podem estar escondidos atrás de folhagens ou muros.
► Nunca provoque um cão com gritos, gestos ameaçadores ou barulhos altos! A sua presença já é uma ameaça ou estímulo para o animal ficar agressivo.
► Mesmo um cão preso, caso provocado, pode se soltar e causar sérios problemas!
► Quem costuma correr durante o serviço, como os coletores de lixo, deve redobrar a atenção. O instinto de caça leva os cães a perseguir “alvos móveis”.
► Quando há animais soltos, evite passar próximo a eles.
► Fique atento. Fêmeas com filhotes e animais machucados ou com medo são potenciais agressores.
► Nunca confie num cão desconhecido, por menor ou mais inofensivo que ele pareça.
►Em caso de perigo, proceda conforme orientação da sua empresa para registrar a impossibilidade de realizar o serviço. Não coloque sua saúde e sua vida em risco!

PRIMEIROS SOCORROS

► Diante de um ataque, não corra nem grite! Tente ficar parado.
► Se mesmo assim o cão atacar, fique em posição fetal: proteja a cabeça com os braços, ficando o mais imóvel possível.
► Nunca force o corpo contra o cão para tentar “soltar” a mordida. Isso pode piorar o machucado.
►Na falta de agentes de segurança (policiais, bombeiros) por perto para ajudar, peça que alguém levante as patas traseiras do cachorro: ele tende a soltar a vítima.
► Após levar uma mordida, aperte a região usando um tecido limpo e procure uma unidade de saúde para avaliar a lesão e a necessidade de medicamentos e vacinas.
► Se possível, leve sua carteirinha de vacinação e a do animal. Isso facilita o atendimento médico.
► O animal deve ser observado por dez dias após o acidente, para identificar sintomas da raiva. A dose da vacina antirrábica varia de acordo com a gravidade da lesão e se o animal apresenta suspeita da doença.
► Quando o acidente acontece com animais desconhecidos e que fugiram após o ataque ou foram mortos após o acidente, a orientação é sempre tomar a vacina.

Fonte: Mordidas de cães afetam trabalhadores nas ruas, vamos evitar estes acidentes. | Prevenção Online